Eletrificação de ferrovias: o que isso tem a ver com mobilidade urbana?

Eletrificação de ferrovias: o que isso tem a ver com mobilidade urbana?

4 minutos de leitura

Mobilidade urbana é um assunto muito recorrente, especialmente nas grandes cidades e regiões metropolitanas. É frequentemente abordado nos noticiários quando o trânsito está um caos ou quando um sistema de transporte urbano fica parado, por exemplo. Apesar de amplamente explorado nas campanhas eleitorais, percebemos pouca ou nenhuma efetividade nas propostas apresentadas. Fato é que tudo que tenha como objetivo facilitar o deslocamento de pessoas nas áreas urbanas tem a ver com mobilidade urbana.

Uma das alternativas para contornar problemas de mobilidade envolve a eletrificação aplicada a transportes rápidos. Parte da população tem aderido à ideia e adquirido patinetes, scooters, bicicletas entre outros equipamentos elétricos. Porém, estes veículos, em sua maioria, são caros e ficam restritos à uma parcela da população com maior poder aquisitivo. Então, o que fazer para usar a eletrificação a favor da mobilidade urbana de forma mais democrática? Uma das saídas é a eletrificação do sistema ferroviário.

Além de democrático, o uso de trens elétricos é também mais sustentável e limpo. Comparado ao rodoviário, o transporte ferroviário é mais barato, rápido, polui menos e não congestiona estradas e cidades, melhorando o fluxo de pessoas. A ferrovia oferece diversas estratégias de mobilidades urbana, como por exemplo os trens, metrôs e VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos). Esses veículos funcionam em sintonia com a rede elétrica da cidade para fornecer energia de tração aos motores elétricos. Por meio, dessa energia e todo o sistema de gerenciamento dela, é possível transportar milhares de pessoas de forma rápida e sustentável.



Embora pareça uma solução óbvia e perfeita, é um tanto complexa. Um sistema de energia elétrica destinado aos veículos ferroviários requer análise contínua para garantir a eficiência e segurança de toda a operação. São necessárias simulações, assim como análises constantes das redes para replicar as transferências de energia nas mais diversas condições de operação, dependendo das características do seu sistema de tensão, corrente ou eletrificação de contato.

MATLAB, Simulink e Simscape™ são ferramentas que facilitam o desenvolvimento de sistemas ferroviários eletrificados, ajudando engenheiros a modelarem todos os componentes elétricos da via e todo o sistema de gerenciamento de energia.

Modelando SIsitemas Elétricos Ferroviários

com MATLAB e Simulink

A importância da fidelidade do modelo e criação automática de modelos no contexto de sistemas ferroviários.

O uso dos produtos MathWorks proporciona ganhos de eficiência de várias formas. As ferramentas permitem o desenvolvimento, teste, modificações e implementação dos sistemas de controle de conversão de energia em tempo real. (Conheça o caso Alstom)

E além do ambiente virtual toda a otimização simulada exaustivamente no sistema pode e deve ser implementada na via, sendo possível um monitoramento permanente.

Muitas ferramentas existem para facilitar todo o processo de mobilidade urbana por meio da eletrificação de ferrovias e nós, da OPENCADD, podemos ajudá-lo com o que há de mais sofisticado em tecnologia de softwares e desenvolvimento de projetos. Como grande parte da mobilidade urbana se inicia com um planejamento logístico e eficiente,  não há maneira mais indicada do que usando uma plataforma virtual de alta fidelidade.

Quer saber mais como? Entre em contato, ficaremos felizes em ajudar!

Eduardo Lima

Eduardo Lima é Mestre em Engenharia Mecânica e Doutorando pela UNICAMP, atuando na OPENCADD como Engenheiro de Produtos no departamento de Marketing.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Translate »