Matlab contra o zika vírus

Matlab contra o zika vírus

O Brasil está na linha de frente da epidemia do Zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti. Em maio de 2015 vimos o primeiro caso confirmado de Zika no Brasil. Hoje, temos inúmeros casos no país, e o vírus se espalhou para 22 outros países e territórios. Como alguns cientistas sugerem que o vírus também pode causar um defeito de nascença devastadora, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto nas Américas uma emergência de saúde pública.

A OMS afirma que o patógeno, que era praticamente desconhecido na região há um ano, está se espalhando tão rápido que ele pode infectar até 3 a 4 milhões de pessoas em 12 meses.
O vírus está nas manchetes nos principais canais do mundo. As companhias aéreas estão reembolsando tarifas para os viajantes relutantes, enquanto os esforços para desenvolver uma vacina estão em andamento. Há até mesmo notícias sobre a necessidade de cancelar as Olimpíadas de 2016 no Rio.

zika1

Fonte da imagem: GatesNotes Blog

A CAUSA

A Zika é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, que também é conhecido por transmitir doenças, tais como a dengue, a febre amarela, e a Chikungunya. A forma para lidar com a epidemia Zika será monitorar e prever a propagação da população de mosquitos, e, em seguida, se livrar das pragas.

zika2

Fêmea adulta do Aedes Aegypti. Fotografia por James Gathany, Galeria de Imagens do Centro de Doenças da Saúde Pública

PESQUISADORES (COM MATLAB) NA MIRA DO MOSQUITO AEDES AEGYPTI

O Brasil está tentando uma abordagem para reduzir a população de mosquitos selvagens através de engenharia genética e liberação de mosquitos que não podem se reproduzir. Cientistas estão reduzindo a população de mosquitos portadores do vírus através da introdução de mosquitos machos em alguma população existente que causa a próxima geração a morrer antes de atingirem a maturidade. Mosquitos machos são usados porque não picam e, portanto, não seria possível se espalhar ainda mais a doença.
Combinado com outras medidas, isso poderia ser a chave para acabar com a epidemia. Olhando para a ciência, há muito trabalho a ser feito sobre esta questão:

  • Otimização das estratégias de controle do Aedes Aegypti para Controle integrado de vetores, por Marat Rafikov, Elvira Rafikova, e Hyun Mo Yang. Olharam para três técnicas de gestão populacional de mosquitos: Controle Químico Inseticida , Controle de Técnica de Insetos Estéreis, e Redução da Capacidade de Carga do Ambiente. O objetivo era obter a estratégia mais sustentável para reduzir a população de mosquitos. O MATLAB foi utilizado para simular um problema de controle, onde o objetivo principal é minimizar a população do mosquito fêmea fértil.

Outra abordagem que tem mostrado resultados promissores é intencionalmente infectar mosquitos machos com uma bactéria chamada Wolbachia. A Wolbachia é encontrada na maioria dos insetos, mas não mosquitos. Quando é injetada nos mosquitos, eles se previnem de serem infectados com doenças como Dengue, Chikungunya, e Zika.

Segundo a Fundação Gates, tubarões matam menos de uma dúzia de pessoas por ano, mas os mosquitos matam mais de 725.000. Se você assistir aos TED Talks de Bill Gates a partir de 2009, você irá ver que ele alerta para alguma ação a ser feita por todos os meios de comunicação, governos e cientistas. Encontrar maneiras de eliminar os mosquitos continua a ser uma questão crítica em todo o mundo (ok, exceto para a Antártica e na Islândia!), E o vírus Zika trará ainda mais a atenção para os esforços nos próximos anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »