Robôs Autônomos e Indústria 4.0

Robôs Autônomos e Indústria 4.0

3 minutos de leitura


Quando se fala em Indústria 4.0, já se pensa em Inteligência Artificial, em que sistemas ou máquinas imitam a inteligência humana com o intuito de executar as mais diversas tarefas. E elas se aprimoraram, com base nas informações que lhe são oferecidas ou coletadas.

Sob a égide deste conceito, estão em franco desenvolvimento os robôs autônomos. Eles não necessitam da intervenção humana para seu funcionamento, pois rodam por meio de um software ou de um hardware. Robôs autônomos têm um funcionamento ligado impreterivelmente à IOT.

Falar em fábricas ou indústrias que não tenham, mesmo que parcialmente, suas atividades ‘robotizadas’, é estar a quilômetros de distância da Indústria 4.0. Vários são os exemplos que podem ser dados, para elucidar: desde um simples robô que limpe o escritório, até mesmo aquele que faz carregamento de cargas mais complexas, com perdas de material quase zero e ganho de tempo, portanto, de produtividade. E mais: aviões não tripulados e drones que fazem entregas, em locais de difícil acesso.

O Japão sai à frente, quando o assunto é robotização: lá, já estão desenvolvidos robôs seguranças, que controlam intrusos, sendo capazes de locomover-se e neutralizá-los com uma espécie de rede. Quem for se hospedar em um hotel, também naquele país, será recebido por um robô-humano que, além de fazer check in, levará a bagagem ao quarto. E muito mais.

E-BOOK GRATUITO

Tecnologia de Robôs Autônomos

Saiba como desenvolver robôs autônomos com o uso do MATLAB e Simulink

Para quem acompanhou o seriado ‘Os Jetsons’, exibida no canal brasileiro SBT, certamente se lembrará que a série introduziu no imaginário o futuro da humanidade: carros voadores, trabalho automatizado, todos os tipos de aparelhos eletroeletrônico e a famosa babá Rosie – hoje real na Coreia, mas com outro nome, claro.

Esta é uma discussão importante, cuja pauta deve ser discutida constantemente. Uma máquina tirará um emprego de um humano? Como a economia será movimentada? Será possível confiar completamente numa máquina?

Ficam aqui as perguntas, cujas respostas poderão surgir nos próximos artigos.


Viviane Nunes é jornalista e colabora com a OPENCADD com trabalhos de assessoria de imprensa, redes sociais e organização de eventos.
(Assessoria de Imprensa: VN Comunicações – 11 97620 6208 | viviane@vivianenunes.com.br)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »